foto

foto
fotografia de Italia , autor luis pedro mujica

sábado, 24 de diciembre de 2016

FRENTE EM DEFESA DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA

 Fontana fala sobre a criação da Frente em Defesa da Indústria Naval Brasileira
Foto: Fabio Dutra/JA
Frente apresenta a requisição uma medida emergencial sobre as encomendas ainda em aberto da Ecovix
LUIZA TRÁPAGA Na tarde de ontem (22), em uma visita ao Agora, o deputado federal Henrique Fontana (PT) realizou a apresentação de uma Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Naval Brasileira. O projeto, que tem como parceria os prefeitos de Rio Grande e São José do Norte e lideranças sindicais, é um trabalho para auxiliar na reversão da situação atual do Polo Naval.
INICIATIVAS
“A partir da situação de agravamento da crise do Polo Naval, decidi encaminhar essa frente para agir como ferramenta política, aplicando o diálogo e pressão que favoreçam a Indústria Naval Brasileira”, explica. Entre as principais iniciativas, está: pressionar para a obtenção de uma nova estrutura tributária, visando maior competitividade no mercado internacional.
Com a mudança na lei do pré-sal, que termina com a regra que obriga a Petrobras a ser a única operadora do pré-sal e abre caminho para o investimento de outras empresas no setor, a frente também propõe a pressão no Ministério de Minas de Energia, para que este exija que as empresas destinadas a explorar o pré-sal no Brasil utilizem equipamentos produzidos no País. “Um ponto que será especialmente positivo para o Polo Naval do Rio Grande, que disponibiliza esses produtos”, afirma o deputado.
A frente ainda apresenta a requisição, por meios legais, de uma medida emergencial sobre as encomendas ainda em aberto da Ecovix. “Com a Ecovix em recuperação judicial, o ideal para a preservação do futuro do setor é a designação de empresas que continuem produzindo, em Rio Grande, as encomendas que ainda estão em aberto”, explica Fontana, ressaltando que o Polo Naval local já possui estrutura adequada e mão de obra qualificada para a realização do projeto. “É uma forma de não deixar o canteiro da empresa abandonado”, ressalta.
PROCESSO INICIADO
Finalizando, o deputado informou que o processo de assinaturas dos parlamentares já iniciou, sendo necessário o número de 171 assinaturas. Fontana afirmou que o contato sobre a frente está sendo realizado diretamente com cada deputado federal, e que a posição oficial sobre a instalação da frente será finalizada até o início do próximo ano. Assim, reuniões serão realizadas em todas as localidades que são diretamente afetadas pelo Polo Naval.

“Esse deve ser um movimento absolutamente pluripartidário, que una todos os setores da sociedade. Aqui em Rio Grande, devido à tamanha importância do Polo Naval para os municípios, precisamos unir forças e sensibilizar todo o Rio Grande do Sul, em defesa do Polo Naval”, finaliza. TOMADO DE AGORA DE RGS BR 

No hay comentarios: