foto

foto
fotografia de Italia , autor luis pedro mujica

lunes, 6 de marzo de 2017

EXPODIRETO ABRE COM PERSPECTIVA DE MAIOR SAFRA DA HISTÓRIA rgs Brasil

Abertura da 18a Expodireto em Não-Me-Toque
Abertura da feira teve governador e críticas sobre previdência e até segurança no campo
PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
O presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, abriu a 18ª edição da Expodireto, na manhã desta segunda-feira (6), em Não-Me-Toque, apontando que ela será marcada pela maior safra de grãos da história do Rio Grande do Sul. "É a feira da esperança e oportunidade", emendou Mânica, citando que vê sinais de recuperação da economia e com inflação e juros em queda. A feira vai até sexta-feira (10) com previsão de crescimento de mais de 15% na receita de vendas, chegando a R$ 1,7 bilhão.
"O Rio Grande vive momento importante de produção. Teremos com certeza a maior e melhor safra da história", reforçou o dirigente da cooperativa que promove o evento. O presidente da Cotrijal destacou a inovação e novidade em tecnologia como o melhor do evento. "A cada 14 meses há mais de 100% de melhorias, inovações e lançamentos no processo produtivo. No parque, estão todas as inovações", dimensionou.
Crise política e reforma da Previdência
Um dos temas que deve pautar toda a feira é a proposta de reforma da previdência. O tema foi citado por todas as autoridades na abertura. Na sexta-feira (10),  Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado terá audiência pública no parque. Mânica citou que a reforma é necessária, mas foi cauteloso sobre os impacto para os agricultores. "Será ponto importante para fazer os ajustes necessários para que não se retirem direitos do produtor. "Ele é responsável por produzir alimentos. Mantenha o homem no campo e as cidades sobreviverão, retire o homem do campo e as cidades desaparecerão."
O prefeito de Não-Me-Toque, Armando Roos, reagiu a informações que atribuem ao setor parte da culpa pelo déficit. "Dizer que produtor não contribui e ajuda a quebrar a previdência é desinformação. É o único que não sonega, pois desconta 2,3% na venda. Não tem como sonegar, é obrigado a emitir a nota", frisou Roos.
O presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto (PT), que tem origem em movimento sem-terra e agricultura familiar, "Sinto obrigação de tocar em um assunto que tira o sono das famílias, que é a reforma. Tenho posição, o presidente da AL é contra a reforma, pois retira direitos sagrados e conquistas da Constituição de 1988. Estamos em crise, mas é momento de apontar caminhos e usar criatividade", sugeriu Pretto.   
Críticas a governos passados estiveram em alta na abertura da feira e com elogios ao governador, em relação a suas propostas de redução do tamanho do Estado. "Vai ficar na história como governador que conseguiu quebrar paradigmas", disse Mânica.

O prefeito de Não-Me-Toque, Armando Roos, fez críticas a governos como criação de estatais para virar cabide de emprego a cabos eleitorais e chegou a elogiar o governador por não ter feito o caminho. Sartori propõe a venda de estatais, como CEEE, Sulgás e Companhia Riograndense de Mineração (CRM). Tomado de journal do comercio de rgs br