foto

foto
fotografía de La Paz Bolivia , 2017; autor luis pedro mujica

domingo, 5 de febrero de 2017

CALENDÁRIO VACINAL SOFRE ALTERAÇÕES A PARTIR DESTE MÊS EM RGS BRASIL


Algumas mudanças já haviam sido anunciadas pelo Ministério da Saúde no mês de janeiro, entretanto
os profissionais precisaram passar por capacitação
Fabio Dutra/Arquivo JA
Calendário vacinal sofre alterações a partir deste mês
Profissionais precisaram passar por capacitação em função do novo calendário
POR ALINE RODRIGUES
O calendário vacinal sofreu algumas alterações que entraram em vigor a partir deste mês de fevereiro no Município. Partes destas modificações já haviam sido anunciadas pelo Ministério da Saúde em janeiro, no entanto só entraram em vigor no Rio Grande este mês.
Conforme a dirigente do Núcleo de Imunizações da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Município da Saúde (SMS), Lilian Rosinha, estas alterações só entraram em vigor este mês, em função de que os funcionários precisaram passar por capacitações.
“Só que, no mês de janeiro, os responsáveis pelas salas de vacinas precisaram passar por capacitações", explica Lilian. As imunizações que sofreram mudanças são a Meningocócica C, HPV Quadrivalente, Tríplice Viral, Tetra Viral, Tríplice Bacteriana Acelular – dTpa e Hepatite A.
MENINGOGÓCICA C
Conforme dados divulgados pelo Núcleo de Imunizações da Vigilância Epidemiológica, a vacina Meningogócica C protege contra o meningococo C, que é uma bactéria causadora de infecções graves como meningite e meningococcemia (infecção generalizada). No esquema anterior desta imunização, eram aplicadas a primeira dose  aos três meses, a segunda aos cinco meses e a terceira aos doze meses. No novo esquema, meninos e meninas de 12 a 13 anos, 11 meses e 29 dias devem receber uma dose de reforço ou dose única, conforme situação vacinal anterior.
HPV QUADRIVALENTE
Essa vacina protege contra o papilomavírus humano - sorotipos 6, 11, 16 e 18. Alguns desses subtipos estão relacionados a casos de cânceres no colo útero, pênis, ânus e boca. No esquema anterior, eram duas doses com intervalo de seis meses apenas para meninas de 9 a 13 anos, 11 meses e 29 dias. No novo esquema, meninas de 9 a 14 anos, 11 meses e 29 dias e meninos de 12 a 13 anos, 11 meses e 29 dias são o público-alvo e recebem duas doses, com intervalo de seis meses.
TRÍPLICE VIRAL
A imunização Tríplice Viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Segundo o antigo calendário vacinal, a primeira dose inicial era realizada aos 12 meses, pessoas de 2 até 19 anos recebiam duas doses com intervalo de 30 dias, e aqueles que tinham de 20 até 49 anos recebiam dose única. Agora, a dose inicial segue aos 12 meses, porém, pessoas que tenham de 5 até 29 anos - sem histórico vacinal - recebem duas doses a cada 30 dias, e as que possuem de 30 até 49 anos, sem histórico, vacinal recebem dose única.
TETRA VIRAL
A Tetra Viral previne contra o sarampo, caxumba, rubéola e varicela, e, no antigo método de imunização, era administrada com uma dose única aos 15 meses até 1 ano, 11 meses e 29 dias. Neste caso, o público-alvo é crianças de 15 meses. No novo esquema vacinal, a dose única é aos 15 meses, podendo ser administrada até 4 anos, 11 meses e 29 dias.
TRÍPLICE BACTERIANA ACELULAR (dTpa)
Esta vacina protege contra difteria, coqueluche e tétano. Era administrada com uma dose única entre a 27ª e a 36ª semana de gestação. O público-alvo é as gestantes e, com a alteração, pode ser aplicada a partir da 20ª semana da gestação.
HEPATITE A
Previne contra a Hepatite A. No esquema vacinal antigo, era aplicada uma única dose aos 15 meses até 1 ano, 11 meses e 29 dias. Com o novo esquema, é uma dose única aos 15 meses, podendo ser administrada até 4 anos, 11 meses e 29 dias.
TOMADO DE AGORA DE RGS BR

No hay comentarios: