foto

foto
fotografía de La Paz Bolivia , 2017; autor luis pedro mujica

jueves, 3 de noviembre de 2016

REMOÇÃO DAS PEDRAS ATÉ SEIS TONELADAS. ARRESTRADAS PELA FORZA DO VENTO EM RIO GRANDE RGS BRASIL

 Remoção das pedras deve iniciar na quinta-feira
Porto do Rio Grande COMEÇA RETIRADA com maquinário próprio
Foto: Fabio Dutra\JA  Mais 170 pedras estão sobre os trilhos por onde trafegam as vagonetas
FERNANDA CADAVAL As consequências do ciclone extratropical, que atingiu a cidade do Rio Grande na semana passada, tiveram seus efeitos sentidos na estrutura das pedras do molhe oeste, na praia do Cassino. Elas foram arrastadas pela força do evento e do mar e caíram sobre os trilhos, por onde trafegam as vagonetas. Assim, o trajeto está interrompido, prejudicando a atividade dos vagoneteiros e causando prejuízos financeiros aos trabalhadores. Segundo a MetSul Meteorologia, na última quinta-feira (27), o evento atingiu 130km/h nos Molhes da Barra.
 REMOÇÃO DAS PEDRAS
Na tarde de ontem (1º), a assessoria do Porto informou que, após a análise do local, a superintendência ainda estuda uma forma de realizar a remoção das pedras maiores que chegam a pesar até seis toneladas. Porém, ainda segundo o assessor de comunicação André Zenobini, se as condições climáticas colaborarem, o trabalho de retirada das pedras menores deve iniciar na próxima quinta-feira (3). “Tínhamos a intenção de iniciar hoje (terça-feira), mas, devido ao alerta da Defesa Civil para fortes chuvas, a Suprg achou melhor não mexer na estrutura”, relata Zenobini.

“Os trabalhos devem iniciar na quinta-feira, vamos retirar com as máquinas da superintendência tudo que for possível. Quanto às mais pesadas, ainda estamos estudando a possibilidade de  firmar parcerias para viabilizar esta logística”, finalizou o assessor. Não há previsão para a conclusão dos trabalhos. TOMADO DE AGORA DE RGS BR 

No hay comentarios: