foto

foto
fotografía de Concordia ER Argentina , autor luis pedro mujica

jueves, 26 de enero de 2017

SERVIÇO NACIONAL DA INDÚSTRIA (SENAI) seus esforços para realocar trabalhadores de volta ao mercado

Senai completa 75 anos qualificando a mão de obra para o mercado de trabalho
Principal objetivo é INCENTIVAR a volta dos TRABALHADORES às indústrias
Foto: Bruno Zanini Kairalla
Senai foca seus esforços para realocar trabalhadores de volta ao mercado
Foto POR FERNANDA CADAVAL
Fundado em 22 de janeiro de 1942, o Serviço Nacional da Indústria (Senai) vem acompanhando as demandas do mercado de trabalho para oferecer cursos de qualificação que sirvam como mão de obra especializada para empresas e indústrias. Em nível nacional, o Senai atende 2.700 municípios em 580 unidades fixas e 449 unidades móveis. “Preocupado com a educação profissional do País, o Senai oferece ensino de qualidade com professores capacitados e atualizados com o mercado de trabalho, aptos para desenvolverem o conteúdo didático de forma eficiente e eficaz para os alunos”, afirma o gerente de operações da instituição do Rio Grande e Pelotas, Eduardo Weber.
A unidade do Rio Grande, denominada João Simplício, situada na avenida Portugal, fundada em 1943, é uma das mais antigas do Brasil.
ZONA SUL
Presente nas cidades de Rio Grande e Pelotas, o Senai conta com dois centros de formação que oferecem 28 áreas tecnológicas que se dividem em oito grandes eixos: metalmecânica, eletroeletrônica, construção civil, alimentação, gestão, costura industrial, refrigeração e consultorias.
Eduardo afirma que, com a redução das atividades do Polo Naval, a procura por cursos ainda não está dentro do esperado. “O mercado ainda não está aquecido novamente, porém, temos empreendedores abrindo o próprio negócio e buscando qualificação. Dessa forma, estamos esperando uma melhora do cenário”, aponta Weber.
Por outro lado, o gerente de operações ressalta que as indústrias de Rio Grande têm um grande potencial e necessitam de funcionários qualificados para ocuparem as vagas. Para isso, o Senai, junto com o Executivo Municipal, através da Secretaria de Município do Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda (SMDier), está trabalhando para firmar uma parceria para que seja possível qualificar os trabalhadores vindos dos estaleiros. “Essa é uma iniciativa do Senai para atender essas pessoas para que elas consigam retornar ao mercado e, dessa forma, também ajudar a cidade a retomar a geração de empregos”, declara Eduardo.
INVESTIMENTO X CRISE
O gerente comenta que não tem como negar a retração do setor, mas garante a continuidade dos cursos .“Iremos manter nossa programação, que é direcionada pelas demandas das indústrias locais. A medida que novas demandas sejam sinalizadas, adequaremos conforme a necessidade”, afirma ele. Além disso, argumenta que a postura do trabalhador precisa ser positiva com relação ao futuro. “O trabalhador precisa se preparar, pois a crise não vai durar para sempre e a indústria do Rio Grande é muito rica e ela vai precisar de pessoas qualificadas para o preenchimento das vagas. É preciso estar preparado para se realocar no mercado”, afirma Weber.
SELEÇÃO Desde 2016, o Senai realiza um processo seletivo que serve para abastecer o cadastro de reservas. Para isso, os interessados devem ter idade de 14 a 24 anos e estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio. Outro critério de seleção são as indicações das próprias empresas que enviam funcionários para se qualificarem. Nessas modalidades de aprendizagem, os cursos são gratuitos.
Já os cursos de Iniciação Profissional, Qualificação Profissional e de Aperfeiçoamento são modalidades pagas e têm como pré-requisitos idade 16 anos e a escolaridade depende do curso pretendido. Os cursos duram 1 ano, em média, com 800 horas de duração, divididas em dois semestres.

“O Investimento em qualquer área tecnológica é fundamental, visto que a preparação, em qualquer área tecnologia aumenta muito a empregabilidade do trabalhador. Profissionais qualificados têm muito mais chance de colocação que os não qualificados”, finaliza o gerente de operações do Senai da Zona Sul. TOMADOD E AGORA DE RGS BR 

No hay comentarios: