foto

foto
fotografía del sur de Argentina , autor luis pedro mujica

martes, 20 de diciembre de 2016

MITOS E VERDADES SOBRE RETIRAR GLÚTEN E LACTOSE DA DIETA

Nutricionistas esclarecem por que as restrições não ajudam a emagrecer
Por: Camila Kosachenco
Foto: freeimages / divulgação
Moda nos últimos anos, as dietas livres de glúten e lactose têm sido disseminadas como uma opção para perda de peso. Apesar dos relatos de seus adeptos, que garantem redução de inchaço e diminuição de medidas, especialistas enfatizam que estas restrições só devem ser seguidas por quem realmente têm alguma intolerância ou alergia. ZH ouviu as nutricionistas Marlene Merino Alvarez, doutora em Ciência da Nutrição da Universidade Federal Fluminense, e Roberta Cassani, pesquisadora colaboradora do Laboratório de Genômica Nutricional da Unicamp, para desvendar os mitos sobre o tema.
Retirar a lactose da dieta auxilia no emagrecimento: mito
De acordo com Marlene, até agora não há evidências científicas consistentes que relacionem o corte da lactose com a perda de peso. Ela explica que o emagrecimento que algumas pessoas relatam pode ocorrer em decorrência da diminuição calórica total da dieta, pois a lactose é um carboidrato e fornece quatro calorias a cada grama.
— Se tiver que retirar algum carboidrato para perder peso, o mais indicado seria a sacarose (açúcar), não a lactose — sugere.
Dieta sem glúten emagrece: mito
Roberta afirma que a associar a retirada do glúten a perda de peso é um mito, e reforça que esta medida só deve ser tomada por quem tem intolerância ou alergia.
— Quando se retira o glúten, geralmente se retira alimentos a base de farinha de trigo ou cevada que são, normalmente, carboidratos. Tirando uma quantidade grande deste macronutriente, com certeza há perda de peso. Mas isso não ocorre pela retirada do glúten, mas sim dos carboidratos — explica.
Retirar a lactose diminui o inchaço abdominal: parcialmente verdade
A sensação de dor e inchaço abdominal é comum aos intolerantes à lactose em função da fermentação da substância no intestino. Portanto, quem não tem restrições não seria beneficiado pela retirada.
— Salvo se houver modificação na dieta como um todo que, em geral, quando orientada para diminuir carboidratos e gorduras em excesso, promove também diminuição do inchaço — indica Marlene.
Retirar o glúten diminui o inchaço abdominal: parcialmente verdade
A nutricionista Roberta Cassani confirma que alguns pacientes relatam inchaço e que não se sentem bem após ingerir glúten.
— Mas não quer dizer que retirar o glúten seja bom para todo mundo. Recomendamos para quem tem doença celíaca ou sensibilidade, mas não se pode discriminar que, para perder peso, essa é a fórmula mágica para todo mundo — diz.
Dieta sem glúten ou sem lactose pode acarretar problemas: verdade
Retirar o leite e seus derivados indiscriminadamente da dieta pode acarretar em problemas como diabetes, hipertensão e, principalmente, osteoporose. Conforme Marlene, a Associação Brasileira de Alimentação e Nutrição (Asbran) é contra a exclusão do leite da alimentação.
— O último Consenso Americano sobre intolerância à lactose, de 2010, faz esse importante alerta sobre o risco da osteoporose para as pessoas que retiram o leite de vaca por conta por conta própria — reforça.
Quando o assunto é o glúten, o maior problema é a redução da quantidade de fibras na dieta. Com a restrição, acaba-se diminuindo a ingestão de determinados alimentos ricos em vitaminas e sais minerais.
— Além disso, o carboidrato é importante na nossa dieta. Quem retira o glúten de maneira radical, tira carboidratos de absorção lenta que são importantes para o organismo — orienta Roberta. TOMADO DE ZERO HORA DE RGS BR


No hay comentarios: