foto

foto
fotografia de Italia , autor luis pedro mujica

miércoles, 4 de enero de 2017

TEMPORAL DEIXA DESALOJADOS E CONSUMIDORES SEM LUZ NO RGR BRASIL


Temporal deixa desalojados e consumidores sem luz no RS
Durante a madrugada, famílias tiveram de sair de casa e mais de 85 mil clientes da CEEE chegaram a ficar sem energia elétrica
Por: Rádio Gaúcha e Zero Hora
Consequências do temporal em Charqueadas conforme o ouvinte da Rádio Gaúcha Luiz GustavoFoto: Luiz Gustavo / Arquivo pessoal / Arquivo pessoal 
A chuva e o vento forte que atingiram o Rio Grande do Sul durante a madrugada desta quarta-feira causaram estragos, alagamentos e destelharam casas em diversas cidades gaúchas. As regiões mais atingidas são Sul, Centro, Litoral Norte, Carbonífera e Metropolitana.
De acordo com a CEEE, durante a madrugada, o número de clientes sem luz passou de 85 mil, principalmente na região Sul. Às 7h15min, ainda restavam 22 mil desabastecidos, concentrados na Região Carbonífera, nas cidades de Butiá, Arroio dos Ratos, Charqueadas e Minas no Leão. 
Conforme a companhia, o vendaval provocou desarme na rede elétrica e a previsão é de que o conserto seja finalizado até o final da manhã. Há outros pontos isolados em Porto Alegre, Viamão e Alvorada.
O temporal ganhou intensidade a partir da Fronteira Oeste e do sul do Estado a partir do final da noite de terça-feira, avançando pela Região Central, passando pela Região Carbonífera e atingindo ainda a Grande Porto Alegre e o Litoral Norte. 
O vento forte destelhou ao menos quatro casas em Santa Cruz do Sul  e uma em Imbé, no bairro Mari Luz — onde oito pessoas de uma família tiveram de ser retiradas. Segundo informações preliminares dos bombeiros de Charqueadas, quatro famílias tiveram de sair de casa devido a
alagamentos.
Bairro Gaúcha, em Viamão, onde casas foram invadidas pela água, foi um dos mais atingidosFoto: Ronaldo Bernardi/Agência RBS
Em Viamão, o Corpo de Bombeiros relatou mais de 100 chamados, sendo que 30 casas tiveram que ser desocupadas. Cinco bairros foram mais atingidos, sendo que o Gaúcha foi o que registrou mais ocorrências, com queda de postes, cheia de um córrego e queda de muros. Casas foram invadidas pela água e moradores tiveram de sair de casa.
De acordo com a moradora Clair Lurdes Trasel, uma ponte no bairro Universal, próximo à divisa com a Capital, cedeu e pelo menos um carro ficou preso no buraco que se abriu. Veja na imagem abaixo.
Foto: Clair Lurdes Trasel / Arquivo pessoal
Em Porto Alegre, ruas ficaram alagadas, mas os pontos de acúmulo de água reduziram, conforme a EPTC, após a chuva perder intensidade. A Rua Manoel Lobato, em frente ao Postão da Cruzeiro, teve o trânsito totalmente bloqueado pela queda de uma árvore. A água subiu rápido no bairro Azenha, e chegou a encobrir a Rua Damasco. Pela manhã, diversos semáforos estavam desligados. Na BR-116, o trecho entre Sapucaia do Sul e Esteio teve diversos pontos com acúmulo de água prejudicando o fluxo.  TOMADO DE ZERO HORA DE RGS BR


No hay comentarios: